Dor e Obesidade

A dor faz parte da sua rotina? Entenda a importância de buscar o tratamento apropriado!
11 de abril de 2022
Abril Verde Relevium: evento gratuito de promoção da saúde na Curva da Jurema
18 de abril de 2022

Dor e Obesidade

Confira abaixo, o conteúdo produzido pelo Dr. André Félix para a Revista Atualidade.

Obesidade e dor são sérios problemas de saúde pública, estudos apontam que pacientes portadores de dores crônicas comumente sofrem de obesidade.

São vários mecanismos que podem ligar estas duas patologias, ou seja, que são tão comuns na dor, quanto na obesidade. Dentre eles posso incluir os fatores mecânicos e estruturais, mediadores químicos, depressão, sono e o estilo de vida.

Para se ter uma ideia melhor, uma pesquisa em grande escala com mais de 1 milhão de pessoas demonstrou uma correlação direta entre dor crônica e a medida do Índice de Massa Corpórea (IMC). Comparando-se pessoas com peso normal, quem estava com sobrepeso relataram taxas 20% maiores de recorrência de dor, e as taxas sobem para 68% para quem estava com obesidade de classe I, 136% para pessoas com obesidade de classe II e 254% para obesidade mórbida.

E não há somente uma correlação com a dor lombar, um estudo mostrou que 60% das mulheres com fibromialgia estavam pelo menos acima do peso, sendo que 32,2% na faixa de obesos.

Já é sabido que a obesidade traz vários impactos adversos sobre a capacidade funcional e qualidade de vida das pessoas de um modo geral. Entretanto, quando a obesidade ocorre com a dor crônica, isso pode ter consequências adicionais à saúde.

Vários estudos mostraram redução da expectativa de vida para indivíduos com dor crônica, principalmente devido a doenças cardiovasculares. Embora o mecanismo exato subjacente ao aumento da mortalidade em pacientes com dor crônica não é conhecido.

Foi sugerido que a síndrome metabólica, que é comum em pacientes com dor crônica, pode levar ao comprometimento da saúde cardíaca.

Se a obesidade agrava a dor crônica ou apresenta um risco maior de ter dor, pode-se especular que a perda de peso deve reduzir a dor. Já ficou claro que ambas as patologias têm um impacto reciprocamente negativo sobre o outro, então o sucesso terapêutico depende de uma abordagem em ambas as doenças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe com um amigo(a)








Enviar
Open chat