Alimentação na dor

Confira o que Dr. Andre Felix esclarece sobre sobre o tema “dor crônica” aos leitores da Revista Sim
12 de julho de 2016
Dor crônica e ansiedade
8 de agosto de 2016

Alimentação na dor

A dor crônica ainda representa um grande desafio de tratamento, devido a sua vaga etiologia e história complexa. Condições dolorosas crônicas incluem várias formas de dor neuropática, dor músculo-esquelética, dor de câncer, enxaqueca, dores articulares e fibromialgia, que são incapacitantes levando a perda de produtividade e gastos aos sistemas de saúde.

Nesse contexto, o conhecimento sobre as propriedades funcionais dos alimentos, nutrientes e compostos bioativos que promovem beneficios no que se refere à redução dos níveis de biomarcadores inflamatórios é de grande valia para o tratamento. O principal objetivo da terapia alimentar na dor é neutralizar a inflamação crônica e proporcionar uma melhor qualidade de vida para os pacientes.

Muitas substâncias naturais têm sido estudadas avaliando sua capacidade anti-inflamatória, incluindo ômega 3 dos peixes, a curcumina da curcuma, o resveratrol das uvas e vinho, os polifenóis do chá verde, capsaicina da pimenta e vários flavonóides, como os encontrados no cacau, frutas vermelhas, maçã, frutas cítricas, açai, repolho e cebola roxa.

Muitos deles têm a capacidade de interferir com processos inflamatórios, bloqueando suas vias e seus mediadores. Assim, a sua utilização pode reduzir a inflamação e danos dolorosos, sendo de valor terapêutico e profilático.

Além disso, deve-se reduzir o consumo de alimentos inflamatórios, como a carne vermelha, manteiga, gorduras, frituras e os carboidratos refinados, como pães e massas com farinha branca, alimentos processados, industrializados e fast food.

Preferir sempre alimentos naturais e frescos, priorizando peixes pelo menos 3 vezes na semana, principalmente os ricos em ômega 3 como o atum, samão, sardinha, arenque, cavala, carboidratos integrais e de baixo índice glicêmico, como como o arroz integral, os pães e grãos integrais, batata doce e inhame. Consumir sempre de 3-4 a frutas variadas por dia, sementes como a linhaça e de abóbora, castanhas, nozes, amendoas e uma refeição bastante colorida é de grande valia para o tratamento.

Experimente utilizar a curcuma diariamente como tempero do arroz e consumir 30g de chocolate amargo (90%-100%) diariamente. Essas ações em conjunto auxiliam no tratamento da dor. Procure um nutricionista para adequações individuais.

Nutricionista Mariana Herzog

  • Graduada pela Universidade Federal de Viçosa-MG (UFV)
  • Pós graduada em Nutrição Clínica Funcional, Universidade Cruzeiro Sul São Paulo/CVPE
  • MS. Ciências Fisiológicas, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

2 Comentários

  1. Muito boa orientaçao. Apesar de conhecer algumas dicas de alimentos , eu não sabia dos efeitos positivos quanto a dor . Agradeço a orientação dos profissionais da saúde .

  2. regina gasparini disse:

    Muito bom o texto …alimentação na dor…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe com um amigo(a)








Enviar